16 de fevereiro de 2009

Uma coisa perfeitamente normal

Ao ver Marcelo Rebelo de Sousa, o seu emulo inconsequente António Vitorino e demais classe políticas situacionista acharem perfeitamente normal que o Conselheiro Dias "Pinóquio" Loureiro se tenha ""esquecido de um negócio no qual perdeu dois Euromilhões mostrou até que ponto a classe política está disposta a abafar os caso BPN e seus protagonistas.

Como diria o boneco da Contra Informação: Uma coisa perfeitamente normal.

2 comentários:

magude disse...

Pois..., "só" foram dois milhões. Uma bagatela. Como poderia lembrar-se?

Luís Bonifácio disse...

Dois milhões!!!!!

Multiplique isso por 19.