23 de fevereiro de 2009

Politicamente incorrecto

O facto de a cerimónia da entrega os Óscares ter decorrido em pleno Carnaval veio dar um efectivo ar de palhaçada à coisa, com a atribuição de um Óscar à inenarrável Penélope Cruz, auto-intitulada de "actriz", mas que na realidade tem a sua carreira bem alicerçada na arte de subir na horizontal, seguindo aliás as pisadas do seu conterrâneo Banderas, mas este fez-nos o favor de ocupar o "coiro" Melanie Griffith, enquanto desenvolve a sua carreira de puro canastrão de Hollywood, tentando ser reconhecido como o Victor Mature do Século XXI.
Em termos de Espanha valha-nos o Bardén.

3 comentários:

filomeno2006 disse...

Y al gran FERNANDO REY (Fernando Casado D´Arambillet) no le dieron el Oscar. Y claro que lo merecía.....

João Amorim disse...

A "grande" Penélope vai longe. Acho que a cerimónia e os prémios foram, como direi, "Obamizados"... tão globais...

Luís Bonifácio disse...

Caro Filomeno.

Rey é outra música.Não era bem um actor. Era mais um mestre.

E acredite que o facto de não ter ganho um Óscar não foi problema dele. O problema é do Óscar, que tal como o Nobel da literatura se arrisca a ser o prémio que os melhores não ganham.